LOGO
“O que é ser mulher?” Sou travesti olhe de novo e veja além do preconceito Full view

“O que é ser mulher?” Sou travesti

Por Dani Soarez.

Tava acompanhando uma discussão onde umas feministas radicais fizeram a grande pergunta que elas consideram super incisiva e afrontosa pra se fazer a mulheres trans. “o que é ser mulher?”

então a maravilhosa Lana Marx respondeu : “eu não sou mulher, sou travesti” e isso define exatamente o que eu sinto.

Nós obviamente não ocupamos o mesmo lugar social de mulheres cis, e qualquer pessoa que tem o mínimo de discernimento e/ou convivência com travestis percebe que nós não somos homens. Por irmos numa direção diferente das pessoas cis, somos marginalizadas, e essas mulheres que se chamam de feministas radicais com suas vivências numa sociedade machista projetam suas frustrações em nós e tentam gratuitamente deslegitimar nossa identidade vestindo suas fantasias de mulheres revolucionárias e questionadoras.

Se elas descobrirem o que é ser mulher eu adoraria saber, se querem falar sobre estética, algumas pessoas consideram que ser mulher é usar perfume docinho, saia, vestido, batom rosa, e reproduzir estereótipos de feminilidade. É uma pena, porquê acho isso tudo EXTREMAMENTE brega. Ainda ontem a noite comentei em uma conversa que tive numa praça com o Piere Silva que minhas maiores referências de estilo são as tomboys, que no português claro seriam algo como as lésbicas “bofinho”. (mesmo me relacionando apenas com homens)

“ah mas porquê vocês fazem cirurgias plásticas pra ‘parecer mulher’ e dizem que nasceram no corpo errado? ” essa noção de que nascemos no corpo errado é uma imposição de pessoas cis que algumas travestis infelizmente reproduzem. Eu não nasci no corpo errado, nasci no corpo certo com uma existência que se constrói, se reinventa, se transforma. E pasmem, pessoas cis também fazem cirurgias plásticas pra mudar a si mesmas desde sempre, sabiam? Algumas fazem por imposições sociais de padrões estéticos, outras fazem simplesmente porquê tem vontade e não querem passar a vida inteira num lugar desconfortável sob a própria pele, e pasmem novamente, nós temos tecnologia na medicina suficiente pra fazer isso, e mesmo que muitas vezes seja um privilégio de pessoas ricas, a maioria das travestis se dedica de forma considerável a conseguir dinheiro pra fazer esses procedimentos porquê, novamente, nós nos construímos, nos reinventamos, e nos transformamos, porquê é sobre isso que é nossa existência e não obrigamos ninguém a fazer o mesmo. 💖

“Ah mas porquê vocês querem ser tratadas no feminino então? ” porquê se vocês não perceberam, nossa sociedade ainda é totalmente binária e se baseia em estereótipos de gênero. E a gente se reconhece a partir desses mesmos estereótipos assim como vocês, mesmo que, assim como vocês, a gente não caiba neles com 100% de perfeição.

Eu acho muito chato ter que ficar desenhando pra radfem essas coisas, mas faz parte. O pior é que mesmo desenhando muitas vezes elas não conseguem entender que essa birra que elas tem com a nossa existência tem um nome, e se chama transfobia. Espero que elas superem e se hidratem, e sejam feliz e estudadas como elas querem ser 💖

Written by Beatriz

1 Comments

Comments are closed.